Showcase Works
open

A Antiga Jerusalém

A Antiga Jerusalém

A Jerusalém remota a muito antes do período de Moíses, o seu primeiro relato se encontra em vários textos como os textos 10.5.355, 10.5.15083-15085,10.5.30066-30068 , como nome de Salém. A cidade de Salém é a abreviação natural do nome Jerusalém, cidade ou fundamento de paz. A cidade de Salém envolve a posição de cidade sacerdotal, e principia na ação de ligação do homem com Deus mediante um sacerdote, o principal fator de Salém é "Em Salém está a sua tenda"10.5.15083-15085 ou seja o santuário de Deus é o principal fator de Salém que é Jerusalém. A origem do nome tem o seu significado provavelmente "a cidades do (deus) Shalim", como era conhecido pelos cananeus e amorreus no período de Abraão mas em hebreu provavelmente "a cidade da paz". Em textos egípcios dos séculos XIX e XVIII a.C., o nome pronunciar-se-á Urusalimum. Nas cartas de Tell-el-Amarna do Século XIV a.C. aparece como Urusalim. Em aramaico, chama-se Yerûshelem. Tal cidade é declaradamente muito antiga e ligada sempre a Divindade, tal fator dos povos antigos constituiam em cidade sagrada para um Deus ligado a paz ou possuidor dela, sendo o monte um ponto sagrado, em relação aos povos da região. A ligação histórica destes conceitos nos determina que a região é um local sagrado desde tempos imemoriais e respeitada tanto por cananeus, amorreus, sumérios e egípcios. No livro sagrado é considerado como cidade de Deus, local do seu tabernáculo. O principal fator da Cidade de Jerusalem esta na existência do santuário de Deus e sua morada, e desde tempos imemoriais tem se ligado a Divindade a esta cidade, a falta de tal divindade descaracteriza historicamente a existência dela. Nas Escrituras Sagradas foi previsto uma descaracterização deste tipo, "crê-me, a hora vem, em que nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai"10.5.26177 . Tal fundamento determina um outro estudo sobre o ponto de adoração alterado, que era padrão para o tempo do velho testamento, e para os patriarcas bíblicos10.5.30066-30068. Jerusalém se situa em situação tão importante que o velho testamento determina-se a orar em direção dela 10.5.9030, 10.5.11321. De forma que devesse se orar em direção ao templo. Caso o templo deixe de existir descaracteriza a oração ao templo não existente.

 H8004,שׁלם,shâlêm, shaw-lame\', O mesmo que H8003; Lugar de Páz; Shalem, uma abreviação do nome Jerusalem: - Salem.

A Antiga Jerusalém dos Hebreus Geopolítica

 

Vimos anteriormente que Jerusalem é anterior aos Hebreus, pois antes mesmo de Abraão tal cidade ja existia e era ligada a Divindade da paz ou local de Deus, iremos agora considerar a Antiga Jerusalém no período compreendido pela conquista por Davi no final do século XI a.C.  até a até o ano 70 d.C. quando Tito, filho do imperador romano Vespasiano, toma e destrói Jerusalém como forma de esmagar uma revolta iniciada em 66 d.C. Antiga Jerusalém possui uma organização Geopolítica detalhada, como cidade baixa, cidade alta, Ofell, e o templo, a coluna mais sólida da Geopolítica de Jerusalem durante o período de Davi XI a.C. até o ano 70 d.C. é a hegemonia do templo no monte Moriah, tal fator não se alterou durante o período da Antiga Jerusalém. Vamos observar o mapa da Antiga Jerusalem, determinada pela Universidade Hebraica: No mapa temos o seguinte Vemos a separação Geopolítica entre Cidade Alta, Cidade baixa, Ofell, e o Templo dominando o monte Moriah. Por Jerusalém ser ligada a uma cidade sagrada o posicionamento do templo envolve o fator principal da existência da cidade, lembrando-se que no monte Moriah, Abraão ofereceu seu filho Israel, mostrando que tal local era sagrado e designado por Deus muito antes de Davi.  

A Antiga Jerusalém dos Hebreus local do templo.

A Parte principal de Jerusalém se encontra na característica sagrada do Monte Moriah, que é vista no mapa com sendo o local hegemonicamente sagrado da construção do templo. Seu relato remota ao tempo de Abraão, onde vemos em Gênesis 10.5.53. O posicionamento da construção do templo foi determinada por Davi onde o Senhor aparecera10.5.11231. O local é determinado na Bíblia como o local determinado por Jehovah, um local escolhido1 e posto para o templo, sendo portanto um local unicamente determinado para trabalhos sagrados de adoração 10.5.14089, 10.5.15509. O templo passou por uma reconstrução e uma ampliação, e recebeu os seguintes nomes populares, Templo de Davi ou Salomão, Templo de Zorobabel e Templo de Herodes, lembre-se que o nome real é Templo de Deus, de Iavé, Casa de Oração e outros, mas popularmente para distinguir foi usado os três nomes relacionados aos dirigentes das construções.

O templo tem o seu local sagrado, sua alteração de local violaria a própria existência de Jerusalém, que foi escolhida para ser a cidade do templo de Deus, no qual todo o povo de Israel se dirigia de tempos em tempos para adorar.

1. H4179 - מריּה / מוריּה- môrîyâh - BDB Definição: - Moriah = “Escolhido por Jehovah”

A Jerusalém dos tempos atuais

Atualmente não se determina mais como Antiga Jerusalém e sim Jerusalém, tal cidade é grandemente alterada em relação a Antiga Jerusalém, sua estrutura Geopolítica foi modificada e se tornou uma cidade relacionada ao patrimônio histórico religioso da humanidade, sendo proibido alterações nos monumentos históricos e religiosos, sendo uma cidade não controlada pelos Judeus e sim gerenciada indiretamente e diretamente por países mais poderosos. No mapa temos a seguinte construção: Jerusalém se tornou uma colcha de retalhos religiosos, divididos através de tratados internacionais organizados por países militarmente fortes e imposto sobre Jerusalém tal construção é totalmente diferente da Antiga Jerusalém. Jerusalém se tornou uma colcha de retalhos para ser dividida entre vários povos que se determinaram possuidores da cultura religiosa de setores de Jerusalém. Dividia entre Cristãos, Gregos, Árabes, Armênios e Judeus, tal cidade não possui mais a característica hegemônica racial e religiosa da Antiga Jerusalém, atualmente recortada por templos Cristãos de várias linhagens, templos árabes adoradores de Allah e muitos outros templos, Jerusalém não se distingue mais como a cidade do Monte Sagrado ao Senhor devido a falta de caráter único de adoração, e principalmente através da dominação árabe do Monte Moriah através da mesquita de Omar, ou Oman.

A Jerusalém dos tempos atuais suas divisões.

Vemos as Divisões da cidade de Jerusalem relacionada a Antiga Cidade sendo que o bairro Judeu é apenas um pedaço de Jerusalem, sendo que o monte Moriah se tornou total dominação das mesquitas árabes, composta da Esplanada das Mesquitas, a região sagrada Haram-al Sharif, a Cupula do Rochedo com a mesquita de Pedra e a Mesquita al-Aqsa, fazendo parte das colunas do Templo de Omar. Em 129-130 o imperador Adriano visita a cidade e decide pela sua reconstrução segundo um plano completamente novo. Adriano renomeou a cidade de Aelia Capitolina. Em 324 o imperador Constantino decide que a cidade deve regressar ao seu nome antigo de Jerusalém. A imperatriz bizantina Eudocia autoriza o regresso dos judeus a Jerusalém (438),Em 638 o califa Omar conquista Jerusalém. Duas mesquitas são construídas na área da esplanada do Templo: A Cúpula da Rocha (691) e a Mesquita de Al-Aqsa (715), Em 1517 a Palestina e a cidade de Jerusalém caem sob o domínio otomano que duraria até 1917. Sob o domínio do sultão Solimão, O Magnífico, Jerusalém conhece a paz e a tolerância religiosa.

A Descaracterização da Região do Monte Moriah.

Tendo em Mente que o Monte Moriah é o local de posicionamento do Templo Sagrado, escolhido por Yahew como é a tradução de Moriah1.

E tendo em mente que Jerusalém foi construída por causa do Templo, vemos uma descaracterização da Antiga Jerusalém sobre a Jerusalém atual.

 

Moriá atual Moriá antiga

 

Enquanto a antiga possui a construção do Templo a Yahew no qual Israel se dirigia anualmente, na Jerusalém atual foi totalmente dominada pela religião árabe.

Moriá é a designação dada a uma colina rochosa onde o Rei Salomão construiu o templo para Deus. Foi o seu pai, o Rei Davi, que adquiriu o terreno do jebuseu Araúna para erigir ali um altar segundo: 2Samuel 24:16-25; 1Crónicas 21:15-28; 2Crónicas 3:1.

Atualmente, o santuário islâmico conhecido como Domo do Rocha ou Cúpula da Rocha fica no alto do monte Moriá.

O Segundo Templo, foi destruído em 70 pelos romanos, com a excepção do muro ocidental, conhecido como Muro das Lamentações, que ainda se conserva e que constitui o lugar de peregrinação mais importante para os judeus. Segundo a tradição judaica, é o sítio onde deverá construir-se o terceiro e último templo nos tempos do Messias.

Segundo a ortodoxia judaica, os judeus não devem penetrar no Monte do Templo porque o consideram um lugar sagrado profanado e porque poderiam, sem querer, violar o sancta sanctorum do desaparecido templo, isto é, a zona do mesmo cuja entrada só estava permitida, e ainda é assim, ao sumo sacerdote. É acessível aos cristãos se obedecerem a certos estritos regulamentos.

Atualmente, a esplanada é um dos lugares sagrados mais disputados do mundo.

A Esplanada das Mesquitas ou Monte do Templo é um lugar sagrado na cidade velha de Jerusalém. Também é conhecida como Al-Haram ash-Sharif (الحرام الشريف, o Nobre Santuário) pelos muçulmanos e como Har Ha-Bayit (הר הבית Monte da Casa ou Monte do Templo, em alusão ao antigo templo) pelos judeus e cristãos.

Na zona encontram-se também dois dos templos mais importantes do Islão, a Mezquita de Al-Aqsa, que é a maior mesquita de Jerusalém, e a Cúpula da Rocha, construídas ambas no século VII. A segunda deve o seu nome a albergar no seu interior a pedra que, segundo a tradição, Abraão usou para colocar o seu filho em sacrifício (segundo a Bíblia, Isaac, ou, segundo o Corão, Ismael). A tradição islâmica afirma que foi dessa mesma pedra que Maomé subiu ao Céu. A cúpula é um dos lugares mais representativos da cidade.

1. H4179 - מריּה / מוריּה - môrîyâh - BDB Definição: - Moriah = “Escolhido por Jehovah”

A Determinação da destruição.

No ano 70 d.C. foi destruída a cidade de Jerusalém, tal fator é determinado pela profecia de Daniel "destruirá a cidade e o santuário,"10.5.22015. Daniel se encontrava no período persa, após tal período ocorreu a reconstrução de Jerusalém e do templo e assim permanecendo até 70 d.C. Vemos que em10.5.22015 encontramos "e o povo do príncipe que há de vir destruirá a cidade e o santuário"10.5.22015. Encontramos ainda na sequência em 10.5.22016. Aqui enfoca que o "virá o assolador"10.5.22016 e sobre ele "a destruição determinada, a qual será derramada"10.5.22016 determinando a destruição, ao lermos "e o seu fim será com uma inundação"10.5.22015, "e até o fim haverá guerra"10.5.22015. Sobre a idéia pertinente ao texto notamos que não haverá mais paz sobre Jerusalem até que venha o fim visto "e até o fim haverá guerra"10.5.22015. Descaracterizando o nome como local de paz. Vemos que descaracteriza a idéia a Jerusalém do Salmo de Davi contido em 10.5.(16093, 16097-16099). Vemos que tanto a paz, como o templo são descaracterizados até o fim pois "e até o fim haverá guerra"10.5.22015, e sabendo que não há mais a casa do Senhor no monte determinado por Yaveh (Moriá) temos a descaracterização da cidade. O muro das lamentações trata-se do único vestígio do antigo templo de Herodes, erigido por Herodes o Grande no lugar do Templo de Jerusalém inicial. Foi destruído por Tito no ano de 70. Muitos fieis judeus visitam o Muro das Lamentações para orar e depositar seus desejos por escrito. O Muro das Lamentações, ou Muro Ocidental, (Qotel HaMa\"*"aravi í¤í«í¥úí¬ í¤í®í²í¸áé em hebraico), é o local mais sagrado do judaísmo. Tito Flávio Vespasiano Augusto (em latim Titus Flavius Vespasianus Augustus) (Roma, 30 de Dezembro de 39 - Aquae Cutiliae, Sabina, 13 de Setembro de 81) Imperador romano entre os anos de 79 e 81. Foi o filho mais velho e sucessor de Vespasiano. Durante o reinado de seu pai, Tito lutou na rebelião judia na Palestina, tomando e arrasando Jerusalém (70).

  •   2901 Marmora Road, Glassgow,
         Seattle, WA 98122-1090
  •   1 -234 -456 -7890
  •   1 -234 -456 -7890
  • info@yourdomain.com

Sobre nós

A busca da saúde como ideal.


Leia mais

Flickr Photos