........

Muitas pessoas desenvolvem diversos modos de imaginar a fisionomia de Cristo, temos loiros de olhos azuis, negros, orientais, e muitos outros.
    Alguns tentam imaginar representações artísticas mediante suas ideologias sociais.
    Mas de fato podemos definir quais as características físicas de Jesus?
    Primeiro sabemos que Jesus era judeu, ou seja da família judaica, e judeu atualmente tem características de um povo claro. Em genética se um povo é muito homogêneo tende-se a gerenciar suas características sejam semelhantes durante muitas eras anteriores. De fato mediante aos judeus atuais teríamos um Jesus de pele branca, e de forma magra e alta.
    Mas vamos observar melhor tais coisas, supondo que a bíblia tenha os verdadeiros relatos dos caminhos do povo hebreu, podemos começar por Abraão.
    Na versão bíblica temos:
    Gen 15:7 Disse-lhe mais: Eu sou o SENHOR que te tirei de Ur dos caldeus, para dar-te por herança esta terra.
Assim Abraão o chamado patriarca do povo de Israel, veio de Ur. O povo de Ur era composto de Acadianos e Sumérios, assim Abraão era deste povo.
    Atualmente podemos dizer que se encontra na região do Iraque. Os descendentes destas regiões antigas, entre    Acadianos e Sumérios são os Cipriotas, que estão hoje do sudeste da Rússia até a grécia. E ainda temos os Drusos que são os povos que se dispersaram ao redor da Síria.
    Ou seja Abraão vem de um ponto da árvore genealógica anterior a estes dois povos.
    A cultura desenvolvida para este povo é de sobre todo custo não se misturar com os povos vizinhos. Assim se eles seguem as normas para o povo deveriam portanto conservar a bagagem genética, do povo de Ur dos caldeus. Abraão vai em direção ao Egito. No Egito Abraão não se misturou com os egípcios. O povo egípcio era de descendência africana, mas não havia conceito de racismo por cor da pele, e sim por religião, ou tipos de serviço.    Assim os Habirus, que significa nômades como Abraão , eram considerados classes inferiores, e os que viviam em cidades como os egípcios eram superiores aos habirus. De fato para um egípcio uma mulher branca seria uma beleza exótica, e como Abraão veio de Ur, sua esposa chamaria atenção entre os descendentes africanos. E por isso o perigo que correu Abraão. Em que Abraão já previa o que iria acontecer.
    Gen 12:17 Porém o SENHOR puniu Faraó e a sua casa com grandes pragas, por causa de Sarai, mulher de Abrão.
    Faraó devido às pragas de Deus deixa Abraão ir com sua esposa, e este permanece em Negueb uma região próxima a Jerusalém. De lá Abraão manda buscar uma mulher da sua terra na Mesopotâmia para seu filho Isaque.    O que novamente gerencia o reforço de que o código genético seja direcionado aos povos dessa região. Isaque tem a Jacó e recebe a seguinte instrução.
    Gen 28:6 Vendo, pois, Esaú que Isaque abençoara a Jacó e o enviara a Padã-Arã, para tomar de lá esposa para si; e vendo que, ao abençoá-lo, lhe ordenara, dizendo: Não tomarás mulher dentre as filhas de Canaã;
Temos que Jacó que se torna Israel posteriormente, continua a mesma regra de buscar mulheres da região Mesopotâmica. Com isso ocorre a formação dos doze filhos de Israel, com os genes da região mesopotâmica. José filho de Israel, acaba se tornando escravo no egito, lembre-se que escravidão não é uma peculiaridade de brancos para com negros, mas também se teve negros que escravizam brancos. Isso ocorre pois todos são homens, e da mesma forma que um branco pode escravizar, um negro também pode, ou qualquer outro ser humano, seja chineses, indios, e outros.
    Então um descendente de linhagem Mesopotâmica é escravizado no Egito e acaba se casando com uma egípcia.
    Gen 41:50 Antes de chegar a fome, nasceram dois filhos a José, os quais lhe deu Asenate, filha de Potífera, sacerdote de Om.
    Aqui se formou dois grupos Manassés e Efraim. Nestes grupos temos a mistura de genes Mesopotâmicos com Africanos. Os outros irmão de José vão ao Egito, e fazem ali moradia, e então depois de algum tempo são escravizados. Assim temos uma separação de raças, em que os egípcios escravizaram os hebreus. Chegando afligir com pesados serviços, e ainda matar os filhos de hebreus.
    Exo 1:13 então, os egípcios, com tirania, faziam servir os filhos de Israel
    Exo 1:22 Então, ordenou Faraó a todo o seu povo, dizendo: A todos os filhos que nascerem aos hebreus lançareis no Nilo, mas a todas as filhas deixareis viver.
    E assim Egípcios de descendência africana, escravizaram com grande tirania os descendentes Mesopotâmicos, e mataram seus filhos recém nascidos, afogando-os no rio nilo e sendo comidos por crocodilos.
    Nesse tempo surge Moisés, que acaba indo para Midiã, e consegue tirar os hebreus da escravidão dos egípcios. E se vê que o povo hebreu prezava a pureza de raça, no verso.
    Num_12:1 Falaram Miriã e Arão contra Moisés, por causa da mulher cuxita que tomara; pois tinha tomado a mulher cuxita.
Muitas coisas vem a acontecer posteriormente, e diversas normas para não mistura com outros povos foi dada. Ocorre várias destruições, restando duas tribos a de Judá, e uma parte da tribo de Levi.
    Com estas características de povo nasce Jesus, que em hebraico é Yehoshua. Seria de presumir que Jesus fosse predominantemente dos genes Mesopotâmicos. Sabendo que Jesus é da tribo de Judá, e este são as gerações dos Judeus atuais.
    Todos os fatores culturais e históricos levam a definir que a bagagem genética de Jesus é Mesopotâmica. Poderíamos gerar a idéia que Jesus tenha genes divinos, o que seria um conceito totalmente sem razão ao caso, ou seja idealizamos que o conceito divino seja meramente espiritual, e que existindo Deus, ele não seria vinculado a genes, então não existiria esse conceito de genes divinos.
    Mas podemos ainda usar mecanismos bem tecnológicos para fazer tal descoberta, que seria um exame de DNA dos Judeus. Os judeus sofreram uma diáspora e foram para diversos lugares, entre eles podemos destacar a rússia e alemanha, mas se disseminaram em muitos outros povos, mas sempre com a cultura de pureza de raça.
    Parte deles conseguiram voltar para o território antigo.
    Com o intuito de descobrir as origens hebraicas se fez um estudo em que foram pegas 121 pessoas que vivem em 14 comunidades judaicas ao redor do mundo África e Europa, Ásia Central e Índia, e depois comparadas com as de 1.166 indivíduos em 69 populações não-judaicas, incluindo o país ou região onde havia uma comunidade judaica. E analisaram os SNPs polimorfismos de nucleotídeo único. SNPs são mudanças únicas no genoma que se agrupam em padrões distintos entre os seres humanos que vivem juntos em grupos ao longo de milhares de anos.
    E assim chegou-se a seguinte conclusão, os padrões judaicos de SNPs estavam mais próximos dos de cipriotas e drusos, as populações não judaicas, da região os clusters de SNPs confirmaram uma relação próxima entre beduínos, jordanianos, palestinos e sauditas. E nas amostras egípcias, marroquinas, berberes e iemenitas, porém, eram mais semelhantes às populações ao sul do Saara.
    Ou seja Jesus da tribo de Judá teria fundamentalmente seu padrão de semelhança com os drusos, e cipriotas. Ou seja não seria um europeu de cabelos claros e olhos verdes e nariz e rosto afilado. Nem tão pouco seria oriental, nem mesmo seria da raça negra.
    Às vezes as pessoas ou grupos tentam se colocar sobre a superioridade de raças, ora buscar definir um Jesus europeu é uma ideologia de superioridade de raça pelo indivíduo que se destaca, definir como negro também é a mesma coisa que o europeu. Ora Jesus descendência Judaica vem dos genes de dois povos que têm dificuldades grandes de continuar existindo, vem perdendo diversas áreas de terra e tendem a ir se reduzindo, os negros por exemplo são uma extensa população, que somente perde para os orientais.
    O ato de ficar buscando por conceitos sociais e não científicos, se tal indivíduo em destaque é dessa ou daquela estirpe de grupo, é racismo, seja do branco, seja do negro, ou qualquer outro. Devemos entender que nos escritos bíblicos temos.
    Gal 3:28 Dessarte, não pode haver judeu nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus.
    De fato a bagagem genética do grupo que pertence Jesus, não está vinculado em brigas raciais, entre negros ou brancos, e mais, Jesus foi tão desprezado que os próprios que possuem a bagagem genética, não desejam na grande maioria defini-lo em seu sistema de linhagem.

Tags: Jesus, origem dos judeus, genética, SNP, racismo, cipriota, druzos, negros, brancos, acadianos, sumérios, arqueologia, história

cacadianos, sumérios, arqueologia, história

 

  •   youtube.com/buscadaverdade,
       instagram.com/reformadores_da_saude/
  •   1 -234 -456 -7890
  •   1 -234 -456 -7890
  • info@yourdomain.com

Sobre nós

A busca da saúde como ideal.


Leia mais

Flickr Photos