22. Paz finalmente

Código VC7-E534-P

VIEW:85 DATA:2020-03-20

Versículo 1 E ele me mostrou um rio puro da água da vida, claro como cristal, procedendo do trono de Deus e do Cordeiro. 2 No meio da sua rua, e de ambos os lados do rio, estava a árvore da vida, que produzia doze tipos de frutos, e dava seu fruto a cada mês: e as folhas da árvore eram para a cura de as nações.

O anjo continua mostrando a João as coisas maravilhosas da cidade de Deus. No meio da rua da cidade estava a árvore da vida.

A Broad Street. Embora a palavra "rua" seja aqui usada no número singular com o artigo definido "o" antes dela, não se supõe que haja apenas uma rua na cidade, pois há doze portões, e deve haver, é claro, uma rua que leva a cada portão. Mas a rua aqui mencionada é a rua por meio de distinção, a rua principal, ou como a palavra original significa, o caminho largo, a grande avenida.

O rio da vida. A árvore da vida está no meio desta rua, mas está em ambos os lados do rio da vida. Portanto, o rio da vida também está no meio da rua da cidade. Este rio procede do trono de Deus. O quadro assim apresentado diante da mente é este: O glorioso trono de Deus à frente do caminho largo, ou avenida; desse trono o rio da vida, fluindo ao longo do centro da rua; e a árvore da vida crescendo em ambos os lados, formando um arco alto e magnífico sobre o majestoso riacho, e espalhando seus ramos que levavam a vida para longe de ambos os lados. Quão ampla é essa rua larga, não temos meios de determinar, mas será percebido imediatamente que uma cidade de trezentos e setenta e cinco quilômetros quadrados teria um amplo espaço para sua grande avenida.

A árvore da Vida. Mas como pode a árvore da vida ser apenas uma árvore e ainda estar em ambos os lados do rio? É evidente que existe apenas uma árvore da vida. Do Gênesis ao Apocalipse, é mencionado como uma das árvores da vida. Para ser ao mesmo tempo em ambos os lados do rio, deve ter mais de um tronco, caso em que seria unido acima, a fim de formar apenas uma árvore. João, capturado no Espírito, e apresentado com uma visão minuciosa deste objeto maravilhoso, diz que estava em ambos os lados do rio.

A árvore da vida dá doze tipos de frutos e produz frutos todos os meses. Este fato lança luz sobre a declaração em Isaías 66: 23, de que toda a carne subirá "de uma lua a outra" para adorar perante o Senhor dos exércitos. A frase grega no verso diante de nós é "kata mena hekaston", "a cada mês".

A Septuaginta tem aqui {PERSONAGENS GREGAS EM TEXTO IMPRESSO}, men ek menos, "de mês a mês." Os remidos chegam à cidade santa mês a mês para comer do fruto da árvore da vida. Suas folhas são para a cura das nações, literalmente, o serviço das nações. Isto não pode ser entendido como implicando que qualquer um entrará na cidade em uma condição doente ou deformada para precisar de cura; pois então a conclusão seria de que sempre haverá pessoas nessa condição, pois não temos razão para entender que o serviço das folhas, seja ela qual for, não será perpétuo, como o uso da fruta. Mas a idéia de doença e deformidade no estado imortal é contrária às declarações expressas da Escritura. "O morador não dirá: estou doente." Isaías 33: 24.

Versículo 3 E não haverá mais maldição, mas o trono de Deus e do Cordeiro Nele estará; e os seus servos servirão a ele.

Esta linguagem prova que o grande Deus, o Pai, é referido, bem como ao Filho. As marcas da maldição, o miasma mortal e as cenas medonhas de desolação e decadência não serão mais vistas na terra. Toda brisa será agradável e vivificante, toda beleza de cena e toda música sonora.

Verso 4 E verão o seu rosto; e o seu nome estará nas suas testas.

A palavra "dEle", na frase "Eles verão o seu rosto", refere-se ao Pai; porque Ele é aquele cujo nome está em suas testas. Que é o Pai, aprendemos em Apocalipse 14: 1. Este será um cumprimento da promessa em Mateus 5: 8: "Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus".

Verso 5 E ali não haverá mais noite; e não precisam de vela nem de luz do sol; porque o Senhor Deus lhes dá luz; e eles reinarão para todo o sempre. 6 E ele disse-me: Estas palavras são fiéis e verdadeiras; e o Senhor, o Deus dos santos profetas, enviou o seu anjo para mostrar aos seus servos as coisas que em breve devem ser feitas. 7 Eis que cedo venho eu, bendito é aquele que guarda as palavras da profecia deste livro.

Aqui, novamente, temos a declaração de que não haverá noite na cidade, pois o Senhor Deus será a luz do lugar. O próprio Cristo, através de quem todas estas revelações vieram, repete a promessa que tem sido a esperança dos homens através dos tempos: "Eis que cedo venho." Manter as declarações da profecia deste livro é obedecer às injunções relacionadas com a profecia, como, por exemplo, em Apocalipse 14: 9-12.

Verso 8 E eu, João, vi estas coisas e as ouvi. E quando eu tinha ouvido e visto, eu caí para adorar diante dos pés do anjo que me mostrou estas coisas. 9 Disse-me ele: Olha, não o faças;

Eu sou teu conservo e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam os dizeres deste livro: adorai a Deus. 10 E ele disse-me: Não atentes as declarações da profecia deste livro, porque o tempo está próximo.

II - O que é injusto, faça injustiça ainda: e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, santifique-se ainda. 12 E eis que cedo venho; e a minha recompensa é comigo, para dar a cada um segundo a sua obra.

Para observações nos versículos 8 e 9, ver comentários sobre Apocalipse 19: 10. No versículo 10, João é instruído a não selar as declarações da profecia deste livro. A teologia popular de nossos dias diz que o livro está selado. Uma das duas coisas decorre disso: ou John desobedeceu suas instruções, ou a teologia acima mencionada está vendo o assunto com os olhos fechados, "no espírito do sono profundo". (Leia Isaías 29: 10-14.) O verso 11 prova que a graça termina e os casos de todos são inalteravelmente fixos antes da vinda de Cristo; porque no próximo verso

Cristo diz: "Eis que cedo venho." Que suposição, então, reivindicar, como alguns fazem, que haverá provação mesmo depois daquele evento! A recompensa de Cristo é com Ele, para dar a cada homem como a sua obra deve ser. Esta é outra prova conclusiva de que não pode haver provação após esse evento. Todos os ímpios vivos, aqueles que "não conhecem a Deus", os pagãos e aqueles "que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo", os pecadores de terras cristãs (2 Tessalonicenses 1: 8) serão visitados com rápida destruição. Daquele que então vem em chamas de fogo para se vingar de seus inimigos.

A declaração do versículo 11 marca o fim da provação, que é o fim do trabalho de Cristo como mediador. Mas somos ensinados pelo assunto do santuário que esta obra se encerra com o exame dos casos dos vivos no juízo investigativo. Quando isso é feito, o decreto irrevogável pode ser pronunciado.

Verso 13 Eu sou Alfa e Ômega, o começo e o fim, o primeiro e o último. 14 Bem-aventurados os que dizem os seus mandamentos, para que tenham direito à arvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas.

Cristo aqui dá a Si mesmo a denominação de Alfa e Ômega, o começo e o fim, o primeiro e o último. O verso 14, como antes notado, é a linguagem de Cristo. Os mandamentos dos quais Ele fala são do Pai.

Mantendo seus mandamentos. A referência aqui deve ser aos dez mandamentos como entregues no Monte. Sinai Ele pronuncia uma bênção sobre aqueles que os mantêm. Assim, no capítulo final da palavra de Deus, e perto do muito próximo do último testemunho que o fiel e verdadeiro Testemunho de lá deixou para o Seu povo, Ele solenemente pronuncia uma bênção sobre aqueles que guardam os mandamentos de Deus. Que aqueles que acreditam na abolição da lei considerem com franqueza a importância decisiva deste importante fato.

Em vez da leitura: "Bem-aventurados os que cumprem os seus mandamentos", algumas traduções, incluindo a versão revisada, têm "Bem-aventurados os que lavam as suas vestes". Neste ponto Alford tem esta nota: "A diferença nas leituras é curiosa, sendo no original que entre poiountes tas entolas autou, e plunontes tas stolas auton, qualquer um dos quais pode facilmente ser confundido com o outro." [1] Em vista do fato de que as palavras e letras nestas duas frases são tão incrivelmente parecidas, não é de surpreender que essa diferença de leitura seja encontrada. Mas parece haver boas evidências de que o primeiro é o original, do qual o último é uma variação do erro dos transcritores. Assim, o Novo Testamento Siríaco, uma das primeiras traduções do original grego, lê-se de acordo com a Versão Autorizada. E Cipriano, cujos escritos anteriores a qualquer manuscrito grego existente, cita o texto como uma leitura: "Bem-aventurados os que cumprem os seus mandamentos". [2] Podemos, portanto, considerar isso com segurança como a leitura genuína.

Verso 15 Porque sem cães e feiticeiros, e artífices, e homicidas, e idólatras, e todo aquele que ama e faz a mentira.

Cachorro é o símbolo da Bíblia de um homem desavergonhado e desavergonhado. Quem desejaria ser deixado na companhia daqueles cujo lote está fora da cidade de Deus? No entanto, quantos permanecerão condenados como idólatras, quantos como aqueles que mentem, e quantos mais como aqueles que os amam, e amam circulá-los depois que eles são feitos!

Versículo 161 Jesus enviou o meu anjo para testificar estas coisas nas igrejas. Eu sou a raiz e a descendência de Davi, e a brilhante estrela da manhã.

Jesus testifica essas coisas nas igrejas, mostrando que todo o livro do Apocalipse é dado às sete igrejas, o que é outra prova incidental de que as sete igrejas são representantes da igreja durante toda a era do evangelho. Cristo é a descendência de Davi, em que Ele apareceu na terra na linhagem dos descendentes de Davi. Ele é a raiz de Davi, na medida em que Ele é o grande protótipo de Davi e o criador e defensor de todas as coisas.

17 E o Espírito e a noiva dizem: Vem. E quem ouvir ouça, venha. E que aquele que está com sede venha. E quem quiser, deixe-o tomar a água da vida livremente.

O convite para vir. Assim todos estão convidados a vir. O amor do Senhor pela humanidade não seria satisfeito em meramente preparar as bênçãos da vida eterna, abrindo o caminho para eles e anunciando que todos viriam quem quisesse; mas Ele envia um convite sincero para vir. Ele o apresenta como um favor feito a Si mesmo, se aqueles convidados virem e participarão das infinitas bênçãos providas por Seu infinito amor. Seu convite, quão gracioso, quão completo, quão livre! nenhum daqueles que estão finalmente perdidos terá alguma vez queixar-se de que as provisões feitas para a sua salvação não foram suficientemente amplas. Eles nunca podem razoavelmente objetar que a luz dada para mostrar-lhes o caminho da vida não foi suficientemente clara. Eles nunca podem se desculpar com base nos convites e súplicas que Mercy lhes deu para transformar e viver, não estavam suficientemente cheios e livres. Desde o princípio, tem havido um poder que exerce uma força tão forte quanto poderia ser exercida e ainda deixa ao homem seu próprio livre-arbítrio, um poder para atraí-lo para o céu e elevá-lo do abismo em que ele caiu. "Venha!" tem sido o pedido do Espírito da boca do próprio Deus, dos lábios de Seus profetas, dos lábios de Seus apóstolos e dos lábios de Seu Filho, mesmo enquanto, em Sua infinita compaixão e humildade, Ele estava pagando o dívida da nossa transgressão.

A última mensagem de misericórdia, como está agora saindo, é outra e última declaração da divina longanimidade e compaixão. Venha, é o convite que ele dá. Venha, pois todas as coisas estão prontas. O último som que cairá dos lábios de Misericórdia no ouvido do pecador antes que os trovões da vingança explodam sobre ele, será o convite celestial, Venha. Tão grande é a benevolência de um Deus misericordioso ao homem rebelde.

No entanto, eles não virão. Agindo de forma independente e deliberada, eles se recusam a vir. Assim, quando eles virem Abraão, Isaque e Jacó no reino de Deus, e eles mesmos lançados fora, não terão ninguém para acusar, nem ninguém para culpar, senão a si mesmos. Eles serão levados a sentir isso em toda a sua amargura, pois chegará o tempo em que a emocionante descrição de Robert Pollok da condenação dos perdidos será fiel à letra:

"E sempre os trovões, murmurando, falavam Da escuridão, proferindo alto essas palavras,

Que toda consciência pesada ecoou de volta:

"Você sabia seu dever, mas não o fez."

Pavor palavras! que desculpa barrada, e jogou o peso da perdição de todo homem em si mesmo,

Diretamente em casa. . . .

"Você sabia do seu dever, mas não o fez!" "[3]

A noiva também diz: Venha. Mas a noiva é a cidade, e como se diz: Vem? Se pudéssemos ser fortalecidos para contemplar as glórias vivas daquela cidade e viver, e nos deveria ser permitido contemplar sua beleza estonteante, e ter certeza de que tínhamos o perfeito direito de entrar nela e nos deleitar em sua glória para todo o sempre. não nos diz então: Vem, com uma persuasão que nenhum poder poderia resistir? Quem de nós, em vista disso, poderia se afastar, e dizer, eu não tenho desejo de uma herança lá?

Mas, embora não possamos agora olhar para aquela cidade, a infalível palavra de Deus a prometeu, e isso é suficiente para nos inspirar com fé implícita e viva. Através do canal dessa fé nos diz:

Venha. Venha, se você herdar mansões onde a doença, tristeza, dor e morte nunca podem entrar; se você tivesse direito à árvore da vida e colhesse seu fruto imortal, comesse e vivesse; se você beber da água do rio da vida, que flui do trono de Deus, claro como cristal. Venha, se você conseguisse através dessas portas brilhantes de pérola uma entrada abundante para a cidade eterna; se você andasse pelas ruas de ouro transparente; se você visse suas pedras brilhantes; se você visse o rei em sua beleza em seu trono. Venha, se você cantasse a música do jubileu de milhões e compartilhasse sua alegria. Venha, se você juntar os hinos dos remidos com suas harpas melodiosas, e saiba que seu exílio está para sempre, e este é o seu lar eterno. Venha, se você receber uma palma da vitória, e saiba que você está sempre livre. Venha, se você trocasse os sulcos da sua testa desgastada por uma coroa de jóias. Venha, se você visse a salvação das miríades do resgate, a multidão glorificada que nenhum homem pode contar. Venha, se você beber da fonte pura da felicidade celestial, se você brilhasse como as estrelas eternamente no firmamento da glória, se você compartilharia o inexorável arrebatamento que enche as hostes triunfantes enquanto elas contemplam diante delas eras infindáveis ​​de glória sempre iluminando e alegrias sempre novas.

A noiva diz: Vem. Quem de nós pode resistir ao convite? A palavra da verdade é prometida a nós que, se guardarmos os mandamentos de Deus e a fé de Jesus, teremos direito à árvore da vida, entraremos pelas portas para a cidade. Sentiremos que estamos em casa na casa de nosso Pai, as próprias mansões preparadas para nós e percebendo toda a verdade das palavras de aplausos: "Bem-aventurados os que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro". Apocalipse 19: 9.

"Aquele que ouve diga: Vem." Já ouvimos falar da glória, da beleza, das bênçãos daquela terra fértil e dizemos Vem. Ouvimos o rio com os bancos verdejantes, a árvore com suas folhas curativas, os caramanchões que florescem no Paraíso de Deus e dizemos: Vem. Quem quiser, venha e tome da água da vida livremente.

Verso 18 Porque testifico a todo homem que ouve as palavras da profecia deste livro: Se alguém acrescentar alguma coisa a estas coisas, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro: 19 e se alguém tirar das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.

O que é adicionar ou tirar do livro desta profecia? Tenhamos em mente que é o livro desta profecia, ou o Apocalipse, que é o assunto da observação; daí as palavras em relação a adicionar ou tirar de ter referência exclusiva para este livro. Nada pode ser chamado de adição, exceto algo adicionado a ela, com a intenção de considerá-la parte genuína do livro de Apocalipse. Tirar do livro seria suprimir alguma parte dele. Como o livro do Apocalipse não poderia ser chamado de um acréscimo ao livro de Daniel, assim, se Deus achasse conveniente fazer outras revelações para nós pelo Seu Espírito, não haveria adição ao livro de Apocalipse a menos que ele reivindicasse ser um livro de Apocalipse. parte desse livro.

Versículo 20 Aquele que testifica estas coisas disse: Certamente cedo venho. Um homem. Mesmo assim, venha, Senhor Jesus. 21 A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Um homem.

A palavra de Deus é dada para nos instruir em referência ao plano de salvação. A segunda vinda de Cristo é o clímax e a conclusão desse grande plano. É mais apropriado, portanto, que o livro feche com o anúncio solene: "Certamente venho rapidamente". Seja nosso para unir-se com corações fervorosos na resposta do apóstolo: "Amém. Ora vem, Senhor Jesus".

Assim, fecha o volume da inspiração, fecha-se com aquilo que constitui a melhor de todas as promessas, e a substância da esperança do cristão, o retorno de Cristo. Então os eleitos serão reunidos e darão um longo adeus a todos os males desta vida mortal. Quão rico em tudo o que é precioso para o cristão é essa promessa! Peregrinando um exílio neste mundo maligno, separado dos poucos da fé preciosa, anseia pela companhia dos justos, a comunhão dos santos. Aqui ele deve obtê-lo, para todos os bens devem ser recolhidos, não de uma única terra, mas de todas as terras; não de uma idade só, mas de todas as idades a grande colheita de todo o bem, chegando em procissão longa e gloriosa, enquanto os anjos gritam a colheita para casa, e os tamboris do céu soam em concerto alegre. Uma música antes inédita, desconhecida no universo a canção dos remidos, acrescentará suas emocionantes notas de arrebatamento e melodia ao jubileu universal. Assim os santos serão reunidos, para se alegrarem na presença um do outro para todo o sempre "Enquanto a glória de Deus, como um mar de fundição, Banha a companhia imortal".

Este encontro não tem nada, mas aquilo que é desejável. Os santos podem apenas suspirar e orar por isso. Como Jó, clamam pela presença de Deus. Como Davi, eles não podem ficar satisfeitos até que despertem em Sua semelhança. Nesta condição mortal nós gememos, sendo sobrecarregados, não para que nós fôssemos "despidos, mas vestidos". Nós podemos apenas estar "na ponta dos pés" para a adoção, a saber, a redenção do corpo. Nossos olhos estão abertos para suas visões, nossos ouvidos estão esperando para captar os sons da música celestial, e nossos corações estão batendo em antecipação à sua alegria infinita. Nossos apetites estão crescendo rapidamente para a ceia das bodas. Nós clamamos pelo Deus vivo e desejamos entrar em Sua presença. Venha, Senhor Jesus, venha depressa. Não há notícias mais bem-vindas do que o anúncio de que a ordem saiu do Senhor para os Seus anjos,

O local de reunião não tem nada além de atração. Jesus, o mais justo entre dez mil, está lá. O trono de Deus e do Cordeiro, na glória da qual o sol desaparece enquanto as estrelas desaparecem à luz do dia, está lá. A cidade de jaspe e ouro, cujo construtor e criador é Deus, está lá. O rio da vida, cintilando com a glória de Deus e fluindo do Seu trono em folhas infinitas e frutos vivificantes, está lá. Abraão, Issac e Jacó, Noé, Jó e Daniel, profetas, apóstolos e mártires, a perfeição da sociedade celestial, estarão lá. Visões de beleza estão lá; campos de verde vivo, flores que nunca se desvanecem, riachos que nunca secam, produtos em variedade que nunca acabam, frutos que nunca se decompõem, coroas que nunca se apagam, harpas que não conhecem discórdia,

Bênção. Nós devemos estar lá. Devemos nos aquecer nos sorrisos de perdão de Deus, a quem nos reconciliamos, e não mais pecar. Devemos ter acesso a essa fonte sem fim de vitalidade, o fruto da árvore da vida, e nunca morrer. Devemos repousar sob a sombra de suas folhas, que são para o serviço das nações, e nunca mais se cansam. Devemos beber da fonte vivificante e nunca mais ter sede; devemos nos banhar em seu spray prateado e nos refrescar; devemos andar em suas areias douradas e sentir que não somos mais exilados. Devemos trocar a cruz pela coroa e sentir que os dias de nossa humilhação terminaram. Devemos deitar a equipe e pegar o galho de palmeira, e sentir que a jornada está terminada. Devemos adiar as vestes da nossa guerra pelas vestes brancas de triunfo, e sentir que o conflito terminou e a vitória ganhou. Devemos trocar as roupas desgastadas e empoeiradas de nossa peregrinação pela vestimenta gloriosa da imortalidade, e sentir que esse pecado e a maldição nunca mais nos poluirão. Ó dia de descanso e triunfo, e todo bem, não tardem eles amanhecendo. Deixe os anjos serem enviados rapidamente para reunir os eleitos. Deixe a promessa ser cumprida, que traz em seu caminho essas glórias inigualáveis

ASSIM, VENHA SENHOR JESUS.

Referências

[1] Henry Alford, O Novo Testamento para Leitores Ingleses, note em Apocalipse 22: 14, vol. II, parte II, p. 1100

[2] "Os Tratados de Cipriano", XII, Os Padres Antenicenos, vol. V, p. 525

[3] Robert Pollok, O Curso do Tempo, livro IX.

A luz da palavra de Deus

Sobre todo o mundo moral, onde, de outro modo,

Nenhuma luz viria, ou através de sua penumbra da meia-noite Nenhum raio aplauso apareceria, para dissipar A escuridão, Deus estabeleceu uma estrela guia Uma luminária brilhante cujos raios divinos Deveriam perfurar a noite, as sombras profundas dissipam,

Que sobre a terra em silêncio soturno choca.

Mais ainda, um raio do próprio brilho de Deus, enviado direto ao homem de seu trono radiante;

Que aqueles que de bom grado devem receber a luz,

E siga para onde isso levasse, deve aqui desfrutar de uma gloriosa antevisão da bem-aventurança do céu.

É a Palavra Sagrada de Deus, imutável

Através do labirinto desconcertante da vida, sozinho, pode guiar o viajante errante ao descanso eterno.

Sem ele, o homem se perdeu perdido nas profundezas,

Labirinto escuro de medo da incerteza Onde dúvidas se distraem, e pensamentos assustadores surgem Com nada mais que seus passos para liderar, salve a lâmpada fraca Da razão humana, cuja chama equivocada Serviria para tornar a tristeza ainda mais profunda,

A escuridão mais profunda e mais intensamente sentida.

Mas não foi o desígnio de Deus deixar o homem assim,

Nos caminhos tortuosos do erro, para tatear o seu caminho;

Então, através de Sua Palavra Sagrada, Sua vontade revelou,

E apontou o caminho estreito, que brilhante e mais brilhante brilha, e'en para o dia perfeito.

(Do poema "A voz de advertência do tempo e da profecia", de Urias Smith)

A casa dos salvos

Ave da Terra, renovada! Paraíso Celestial!

Apto lugar de habitação, com toda a tua beleza,

Tua longa reprovação para sempre apagada,

E mais justa agora do que quando, a princípio, teu Deus te pronunciou um local de moradia de boa aparência, tão puro, tão belo, tão adornado com uma paz sorridente,

Para todos os santos, todos os redimidos dos homens;

Quem pelos teus portões, imortal da cidade justa,

Tuas portas de pérola entrarão livremente

Onde a violência e a revolta nunca vêm,

Anda pelas tuas brilhantes e deslumbrantes ruas de ouro; E para o fluxo da vida, o fluxo de cristal Jejue pelo trono de Deus, tenha acesso livre;

E da árvore da vida, alto arqueamento,

Arranque a fruta eterna e coma e viva;

E em teus alegres sorrisos, ó rei dos santos!

Glória indescritível possui; por em

Tua presença brilhante, lá plenitude é alegria,

À tua mão direita, prazeres para cada vez mais.

(Do poema "A voz de advertência do tempo e da profecia", de Urias Smith)

 

 

Uriah-Smith --- Daniel-e-Revelation.pdf




Norway

FACEBOOK

Participe de nossa rede facebook.com/osreformadoresdasaude

Novidades, e respostas das perguntas de nossos colaboradores

Comments   2

BUSCADAVERDADE

Visite o nosso canal youtube.com/buscadaverdade e se INSCREVA agora mesmo! Lá temos uma diversidade de temas interessantes sobre: Saúde, Receitas Saudáveis, Benefícios dos Alimentos, Benefícios das Vitaminas e Sais Minerais... Dê uma olhadinha, você vai gostar! E não se esqueça, dê o seu like e se INSCREVA! Clique abaixo e vá direto ao canal!


Saiba Mais

  • Image Nutrição
    Vegetarianismo e a Vitamina B12
  • Image Receita
    Como preparar a Proteína Vegetal Texturizada
  • Image Arqueologia
    Livro de Enoque é um livro profético?
  • Image Profecia
    O que ocorrerá no Armagedom?

Tags

tag